Bem-Estar e Spa: setor em pleno desenvolvimento no Brasil

Por Talita Silvério, fundadora e diretora-geral da Amman Consultoria de Spas. Profissional graduada em Naturologia (Universidade Anhembi Morumbi), pós-graduada em Administração de Empresas (FGV - Fundação Getúlio Vargas), com especialização no mercado de luxo. Atua há mais de 10 anos no segmento de Spas, com atuação no Grupo L’OCCITANE e Kyron Spa. Atual membro da Associação Brasileira de Estética e Spas (ABES – antiga ABC Spas).

Hoje, visualizo o turismo de bem-estar como uma valiosa estratégia competitiva. Mercado e especialistas apontam perspectivas e oportunidades para o segmento de turismo, no qual spas e experiências de bem-estar exclusivas podem tornar negócios mais atrativos e garantir lucratividade.

Com o COVID-19, tendências que vinham timidamente alterando nosso comportamento ganharam velocidade, e muitas transformações surgiram para se adequar aos novos tempos, modificando nossa maneira de viajar, de consumir e de integrar o turismo em nossas vidas. Arrisco dizer que o bem-estar também é uma resposta às mudanças sociais atuais, já que se traduz em um novo conceito de vida saudável e equilibrada. Tudo o que procuramos após meses de isolamento social.

Especialistas apontam o aumento da procura por destinos turísticos menos massificados, a preferência por hotéis com menor capacidade, atividades ao ar livre, mais contato com a natureza, e, sobretudo, uma maior preocupação com a sustentabilidade. A valorização de empresas e marcas com compromissos com a comunidade e com o meio ambiente estão tomando os holofotes em diversos setores da economia.

Inovar para fazer a diferença

Com todas essas mudanças e adaptações do mercado ocorrendo em tempo real, fica claro que o setor internacional está inovando e buscando soluções criativas para atender às necessidades de um novo consumidor que está surgindo – mais exigente, preocupado com a limpeza, a segurança e a qualidade dos serviços oferecidos. Um consumidor que, após meses de distanciamento social imposto pela pandemia, se conectou com seu cotidiano e qualidade de vida. Nunca foi tão importante manter a saúde física, mental e emocional.

Trata-se de uma oportunidade única para negócios se destacarem e fazerem a diferença. E para “surfar nessa onda”, não é necessário contar com grandes investimentos, mas sim buscar soluções alternativas que desconstruam conceitos, entregando um serviço de qualidade. O ponto alto do turismo de bem-estar é justamente integrar hábitos e práticas saudáveis, que melhorem a saúde e incentive a transmissão de novos conhecimentos para a vida cotidiana, após a experiência.

O bem-estar “no-touch” adaptado ao seu negócio e ao seu cliente

Dentre as tendências internacionais do mercado de spa e bem-estar, estão as experiências integrativas e alternativas à massoterapia, ou seja, inovações em tratamentos e experiências de bem-estar no-touch (sem o toque). Uma tendência que acreditamos ser definitiva para o setor.

Reflexologia, aromaterapia, musicoterapia, yoga, meditação, caminhadas ao ar livre, cromoterapia, haloterapia (sala de sal) e até banheiras de flutuação sensorial, além de um cardápio de refeições naturais, orgânicas e funcionais, são sugestões que podem ser exploradas e adaptadas ao seu negócio de forma profissional, fazendo com que seu cliente se sinta bem-vindo e especial.

Caminho de Pedras (Reflexologia), projeto Amman desenvolvido para Natin Spa (Wish Natal)
Caminho de Pedras (Reflexologia), projeto Amman desenvolvido para Natin Spa (Wish Natal)

São técnicas que buscam o despertar do bem-estar e da autoconsciência. Práticas que integram experiências, terapias e ambientes, e têm como premissa o relaxamento e interiorização, utilizando técnicas e tratamentos através dos sentidos, como: tato, visão, audição, olfato e paladar.

No Brasil, também chamadas de Práticas Integrativas Complementares (PIC), fazem parte de um campo de conhecimento que vem se desenvolvendo desde o início da civilização, e têm a intenção de manter ou restaurar a saúde física e mental de forma integrada. Nela, a alma (emoções, sentimentos e pensamentos) é vista como indissociável da parte física (corpo), e os processos físicos e doenças relacionam-se a estados mentais e emocionais.

Bem-estar Mental: um novo nicho para o mercado de bem-estar, segundo o Global Wellness Institute

O estudo Defining the Mental Wellness Economy (“Definindo a Economia do Bem-estar Mental”, em tradução livre), divulgado em novembro de 2020 pelo Global Wellness Institute (GWI), é o primeiro estudo conhecido por definir, analisar e mensurar o bem-estar mental como indústria.

Stress, solidão, burnout, as conhecidas problemáticas do mundo moderno, se intensificaram com pandemia do COVID-19. Mais pessoas estão à procura de alternativas, se conscientizando da importância das soluções integrativas, incluindo meditação, suplementos funcionais e até de soluções para dormir melhor, já que estão enfrentando diversos desafios relacionados à saúde mental. E é justamente onde o GWI detectou um novo nicho: a Indústria do Bem-Estar Mental.

O novo nicho de mercado definido, segundo a entidade, vale cerca de 121 bilhões de dólares, baseado no consumo de quatro mercados, subsegmentos identificados por consumidores e empresas como benéficos ao bem-estar mental: Sentidos, Espaços e Sono (U$ 49.5 bilhões), Nutracêuticos e Botânicos Estimulantes (U$ 34.8 bilhões), Autodesenvolvimento (U$ 33.6 bilhões) e Meditação e Mindfulness (U$ 2.9 bilhões).

Global Mental Wellness Industry: $120.8 billion in 2019

Como parte integrante e atuante deste mercado no Brasil, enxergo este estudo de esfera mundial como um importante passo no mercado de wellness. Muito mais do que mensurar o mercado, ele reforça mais uma vez a importância do bem-estar e da conexão corpo-mente para uma vida melhor. Reforçamos assim nossa convicção nos rituais e nas experiências autênticas que desenvolvemos em cada projeto de spa, trazendo assim um impacto significativo na saúde e na qualidade de vida das pessoas.

O bem-estar como estratégia de negócio

Mas, ao momento que passamos por uma crise econômica, com o consumo estagnado e os investimentos limitados, questionamentos podem surgir. O bem-estar está em alta, mas como podemos aproveitar a oportunidade dentro de nosso mercado?

Como especialista em projetos de bem-estar, afirmo que um spa pode ser um diferencial competitivo. E sim, agrega valor. Mas o segredo para seu sucesso é incluí-lo em sua estratégia de negócio. Ele deve fazer parte de seu plano de comunicação, deve estar sinalizado dentro do seu hotel, deve fazer parte do processo de venda e do treinamento dos seus funcionários.

É imprescindível treinar profissionais para transmitir o mesmo cuidado com o cliente. Preparar equipes para desenvolver a escuta ativa com seus clientes, desenvolver um perfil consultivo. Ouvi-los, entender a mensagem e promover a melhor experiência, oferecendo produtos e serviços de acordo com suas necessidades. Experiências de bem-estar autênticas envolvem também treinamento e capacitação profissional. A sensação de bem-estar começa do início ao fim da vivência.

Num geral, os hotéis possuem um grande potencial de faturamento do spa com seus hóspedes que já escolheram estar ali e não em seu concorrente. Saber explorá-los de forma inteligente é também vender seus serviços de bem-estar, seu atendimento, e transmitir o valor da experiência que pode ser proporcionada.

Depois de anos atuando neste mercado, diria que poucos hotéis conseguem apresentar uma boa taxa de conversão em seus spas (métrica essencial para o sucesso do negócio), e este é justamente segredo para aumentar a taxa de ocupação: deixar de considerar spas e experiências de bem-estar como supérfluas ou extras, e integrá-los em seu diferencial competitivo, no seu diferencial frente à concorrência. Explorá-los nas estratégias de marketing, comunicação, vendas e, principalmente, dentro da sua estratégia de negócio.

O que faz de seu negócio exclusivo é o conjunto de diversos elementos, incluindo a estrutura, o design e a qualidade de seus serviços, tudo isso aliado à personalização, à sua história e sua essência. Precisamos ser empreendedores e flexíveis, resilientes o suficiente não só para sobreviver, mas também para adicionar profundidade significativa aos nossos serviços. Nosso diferencial está nas experiências memoráveis e únicas, aquelas que seu cliente só encontra no seu espaço. No final, serão essas vivências que seu cliente levará para casa.

O momento pede inovação e os negócios de destaque serão justamente aqueles que pensarem “fora da caixa”, desconstruindo conceitos, mas entregando o melhor da experiência.

Bem-estar é uma necessidade de todos.

Talita Silvério. Foto Divulgação.

Conteúdo criado por Talita Silvério é fundadora e diretora-geral da Amman Consultoria de Spas. A profissional é graduada em Naturologia (Universidade Anhembi Morumbi), pós-graduada em Administração de Empresas (FGV – Fundação Getúlio Vargas), com especialização no mercado de luxo. Atua há mais de 10 anos no segmento de Spas, com atuação no Grupo L’OCCITANE e Kyron Spa. Atual membro da Associação Brasileira de Estética e Spas (ABES – antiga ABC Spas).


O conteúdo é de inteira responsabilidade do criador e não, necessariamente, reflete a opinião da Reed Exhibitions – organizadora da Equipotel.