Bons sonhos: a importância dos enxovais na hospitalidade

Nos dias atuais, o cliente está cada vez mais exigente quanto a qualidade de produtos e serviços consumidos. Isso se aplica também às clínicas médicas e hospitais, sendo fatores importantes para sua escolha e, principalmente, para sua fidelização. Foi assim que surgiu o conceito de “hotelaria hospitalar”.

Esse termo engloba diversas áreas e serviços que têm como objetivo ajudar nos cuidados de pacientes prezando pelo bem-estar, segurança e conforto no ambiente hospitalar. Esses serviços beneficiam não apenas quem está em atendimento, mas também seus familiares e acompanhantes, assim como amigos quando realizam visitas.

Alguns dos serviços inclusos são de lazer e entretenimento, alimentação e nutrição, higiene e limpeza. Hoje vamos tratar principalmente do enxoval hospitalar, com dicas de como fazer uma boa gestão dele.

O enxoval hospitalar é composto por aventais, pijamas, camisolas, lençóis, fronhas, colchas, cobertas e às vezes toalhas, a depender do caso do paciente. É importante que a qualidade das peças reflita a qualidade do serviço oferecido pela instituição, para que o cliente se sinta confortável e seguro em todos os ambientes.

O primeiro ponto é se atentar às normas que regularizam a confecção têxtil das peças. Elas são divididas em 7 categorias.

  • T1: avental, bota, camisola; 100% algodão
  • T2: felpudos; 100% algodão
  • T3 E T4: campos cirúrgicos e sacos hamper; 100% algodão
  • T5: coberturas; 50% algodão e 50% poliéster
  • T6: lençóis, fronhas, pijamas; 50% algodão e 50% poliéster
  • T7: colchas; 100% algodão

Para fazer uma boa compra de enxoval hospitalar, é necessário se atentar a alguns fatores: requisitos técnicos, conforto para o paciente, durabilidade das peças e segurança sanitária para preservar os produtos.

Importante lembrar que um bom investimento é feito a longo prazo. Ou seja, preços menores não são garantia de produtos de alta qualidade que terão longa vida útil. Nesse ponto, a análise de custos e benefícios se faz necessária.

Após a aquisição das peças, o controle do inventário é de suma importância para evitar possíveis imprevistos. Organize uma rotina de relatórios do uso das peças, de serviços de lavanderia, estocagem e descarte e mantenha-se atento a eles. Assim, fica mais fácil fazer a reposição periódica das peças sem que tenha impacto significativo nem no financeiro, nem no operacional.

Depois que o enxoval estiver em giro, um elemento que influencia diretamente na sua vida útil é a lavagem cotidiana. Alguns hospitais fazem a triagem das peças de acordo com seu nível de sujidades para assim evitar que elas passem por um processo de higienização uniforme e leve demais ou muito pesado. Desta maneira, evitamos que o produto sofra desgaste precoce sem necessidade.

Feita a higienização adequada de cada peça, é necessário que elas passem por uma checagem para averiguar que estão em perfeitas condições de serem usadas novamente.

As grandes marcas do setor, como a Trousseau, percebem um aumento significativo na procura de seus produtos por hospitais. A ideia é que as experiências sejam as mais próximas daquelas vivenciadas em resorts e hotéis de luxo.

Continue acompanhando as novidades do Blog Hospitalidade Brasil para se manter inspirado e retomar as atividades. Inscreva-se na newsletter da Equipotel e acompanhe a novidade do Equipotel Conexões, uma série de conteúdos sobre o futuro do setor.