Com a reabertura gradual dos serviços, boa parte dos comércios já retornaram às suas atividades. Contudo, muitos empresários sofreram com as medidas impostas, principalmente com horário de funcionamento de bares e restaurantes que, atualmente, são muito diferentes dos tradicionais.

Entre as medidas de prevenção para os bares e restaurantes estão, sobretudo: uso obrigatório de máscaras, medição de temperatura, distanciamento de pessoas e álcool em gel. Além disso, outras medidas como paredes de acrílico nos caixas, proteção nas máquinas de cartão e limitação na ocupação máxima são necessárias.

Na cidade de São Paulo foi aprovado o avanço para a fase verde, permitindo que o horário de funcionamento de bares e restaurantes seja até às 23h. Entretanto, essa não é a realidade de muitas cidades e estados do Brasil.

Por isso, conversamos com o especialista em negócios em alimentação fora do lar Marco Amatti, CEO da Mapa Assessoria, para contar como as medidas estão impactando o setor de alimentos e bebidas de forma geral. Acompanhe:

Dificuldades dos empresários

Os empreendimentos que não fecharam durante o isolamento social conseguiram retomar as atividades com dificuldades, alta de preços e baixa ocupação. “A cadeia de produção e suprimento passou por ruptura e preços de alimentos subiram; os aluguéis eventualmente negociados também voltaram a ser cobrados integralmente em alguns casos. A folha de pagamento, que voltou aos mesmos patamares anteriores, e o medo do consumidor de voltar aos bares restaurantes desequilibram o fluxo de caixa. Além destas dificuldades, a menor área autorizada para atendimento presencial e os horários permitidos para funcionamento limitam as possibilidades de faturamento”, comenta Amatti.

Horário de funcionamento de bares e restaurantes

Atualmente, algumas prefeituras já permitiram a reabertura dos restaurantes em horários até 23h. “Depende muito do município, localização e tipo de negócio. Em geral as propostas de horários começaram inadequadas ou ineficientes para boa parte dos negócios, porém pouco a pouco, com a reinvindicação de entidades ligadas ao setor estes horários vêm gradativamente se adequando”, explica Marco Amatti.

Entretanto, os hábitos do consumidor mudaram ao longo do isolamento social, não é possível atendê-los no horário que já era conhecido. Restaurantes que costumavam fechar às 00h, por exemplo, precisaram se adequar até as 18h e depois passaram para às 22h. Por outro lado, algumas cidades, como São Francisco Xavier tem horário ainda mais reduzido, podendo servir apenas o almoço.

“No caso de SP, o fechamento as 22 horas ia contra os hábitos do consumidor e deixavam o estabelecimento à mercê de interpretação da regra; na última atualização, muito em virtude da atuação da Abrasel, o horário de fechamento às 23 horas atende boa parte dos restaurantes. No caso doa bares o problema é mais sério pelos mesmos motivos: os hábitos dos clientes, que frequentam este tipo de estabelecimento em horário mais avançado, sendo, portanto, insuficiente para faturamento sustentável”, afirma o especialista.

Adaptação dos clientes

Outro ponto importante sobre a retomada de bares e restaurantes é a adaptação dos clientes às novas regras. Nesse sentido, é necessário novos hábitos não só sobre o horário de funcionamento, como também as medidas de distanciamento, máscaras e evitar aglomerações.

“Muitas vezes há conflitos com funcionários e mesmo com outros clientes, como: uso de máscaras, grupos máximos de 6 pessoas e regras para serviço em self service estão entre os principais postos de conflito. O movimento em algumas áreas tende a diminuir (como no caso dos restaurantes quilo em áreas de concentração de escritórios) o que deve eventualmente promover o fechamento deste tipo de estabelecimento”, finaliza Marco Amatti.

Bares e restaurantes pelo Brasil

Adequar os horários dos restaurantes não é o único desafio do setor. Além de implantar novos protocolos de atendimento, é necessário criar experiências novas para que o cliente sinta vontade de visitar o local. O autoatendimento, por exemplo, pode ser uma vantagem nesse momento.

Além disso, é possível fazer uso de áreas externas ou mesmo aproveitar o momento de adequações para deixar o empreendimento mais acessível.

Acompanhando o Blog Hospitalidade Brasil, você tem conteúdo toda semana para enriquecer o seu dia a dia e colocar em prática as melhores soluções. Inscreva-se gratuitamente na newsletter para não perder nada.