Em entrevista, Felipe Martinez, presidente da ABMotéis, fala sobre as mudanças e projetos com foco em biossegurança em motéis.

O segmento moteleiro que vinha se reinventando há um bom tempo com muito sucesso, superando preconceitos e se consolidando como excelente meio de hospedagem. Além disso, fez a lição de casa e é exemplo para as demais indústrias em protocolos de segurança contra o covid-19.

Segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis) com seus afiliados, nos últimos meses o faturamento do setor moteleiro está entre 70% e 80% em relação ao período pré-pandemia. Esse faturamento deve-se, primordialmente, ao fato de o segmento ter inovado, abraçado as novas tecnologias e ser um espaço de grande privacidade.

Exemplos de biossegurança em motéis

Na suíte:

No Lush Hotel, por exemplo, há suítes com piscina privativa, ambientes temáticos e até cinema com poltrona DBOX, que recria os movimentos do filme, igual “àquela encontrada em grandes redes de cinema.

“Esse projeto já tem 4 anos, mas agora durante a pandemia com os cinemas fechados, ganhou um grande destaque e recentemente passou por um up-grade de sistema”, comenta Felipe Martinez, sócio do Lush e presidente da ABMotéis.

Para transmitir os filmes, o motel utiliza o sistema Nonius, com lançamentos da plataforma.

Na gastronomia:

Outro ponto importante é demanda por gastronomia nos motéis. Nesse sentido, a principal mudança percebida pela ABmotéis é o aumento da permanência dos clientes no motel e, por consequência, o setor vem apresentando um aumento proporcional no consumo de alimentos e bebidas durante a estadia.

Em registros, aproximadamente 54% dos motéis tiveram aumento nesse tipo de consumo.

Muitas cozinhas funcionam 24h horas, com um cardápio diverso e alguns assinados por chefs renomados nacional e internacionalmente, mas a gastronomia tem ganhado destaque. Por isso, a ABMotéis criou o evento chamado Chefs no Motel, que promove cultura gastronômica.

“Recentemente lançamos um projeto chamado ‘’Mesa para 2’’ em parceria com um tradicional restaurante de Fondue de SP, o Hannover, onde oferecemos a experiência deles de forma privativa e sem nenhum contato humano, servido dentro da suíte, através de um passa-prato.  Outras novidades estão a caminho”, comenta Felipe Matinez.

E mais sobre segurança sanitária

Sempre prezando pela higiene, limpeza e proteção de seus clientes, os motéis intensificaram seus cuidados com a pandemia. Aferição de temperatura de colaboradores, limite de duas pessoas por suíte e intensificação na higiene.

A maioria dos motéis, inclusive, utiliza aparelhos de ozônio durante a higienização de cada unidade, prática muito comum no setor nos últimos anos.            

E, buscando trazer ainda mais tranquilidade para os casais, a ABMotéis firmou parceria com a Bureau Veritas, para certificar profissionalmente a biossegurança dos motéis.

Motéis se reinventam na quarenta

O aumento pela busca por entretenimento privativo em tempos de isolamento social, trouxe ao setor moteleiro significativas oportunidades. Por isso, motéis puderam aumentar seu leque de ofertas atendendo as novas demandas. Veja exemplos práticos de estratégia e reinvenção neste link.

O setor moteleiro não só inspirou seus consumidores, como também outros segmentos de hospitalidade durante uma live da Equipotel Conexões. No bate-papo, especialistas quebram estereótipos, comentaram sobre o impacto da pandemia e debateram o futuro da motelaria.

Para se inspirar com outros modelos de retomada, acompanhe o Blog Hospitalidade Brasil através das newsletter e redes sociais.