“Como ficam os negócios de quem terceiriza eletrônicos e sistemas de refrigeração?” A Colortel responde!

0
225

Chegando na quarta edição do Expositor Equipotel, a Colortel conta com exclusividade o que tem feito para resguardar a saúde de seus colaboradores e manter seus negócios.

Inicialmente, a Colortel nasceu para atender às necessidades das residências por equipamentos eletrônicos de última geração. Hoje com quase 50 anos de história, a empresa carioca tem foco no mercado empresarial, já conta com mais de 10 filiais e atuação por todo país.

Nesse sentido, apresenta soluções de terceirização de sistemas de refrigeração e equipamentos eletrônicos que atendem tanto o mercado da hospitalidade como também outros setores como saúde e educação.

E justamente para entender como está sendo o trabalho desses durante a pandemia, que convidamos a Cristina Marques, Diretora Executiva da empresa, para participar da quarta edição do Expositor Equipotel.

Cristina Marques,
Diretora Executiva Colortel


Da mesma forma que começamos as entrevistas anteriores, Cristina defina seu período de quarentena e o período de retomada:


Perseverança e colaboração, respectivamente.

Agora, queremos saber de você como a Colortel está atuando em prol dos clientes durante esse período de pandemia:

A princípio, demos 75% de desconto para nossos clientes da hotelaria nos boletos de abril e maio. Essa decisão tem como propósito dar suporte atualmente, além de servir como incentivo, afinal de contas, esse setor será peça-chave no momento de reabertura dos negócios. O setor da hotelaria inclusive ajudará a movimentar todo o setor de turismo, eventos, A&B e até mesmo de entretenimento.

Além disso, estamos mantendo a prestação de serviço nos clientes que estão operando, visto que nossa manutenção preventiva é parte importante do controle do contágio.

Além dos clientes, como está funcionando a atuação de cuidado com os profissionais que trabalham na Colortel?


Nesse aspecto estamos focados na saúde dos nossos colaboradores e suas famílias. Para isto, aumentamos ainda mais nossas medidas de prevenção, a limpeza dos ambientes, os procedimentos técnicos de descontaminação dos aparelhos. Por fim, também colocamos em home-office o maior número possível de funcionários.

Para finalizar, conte-nos quais foram os principais aprendizados que a pandemia trouxe para o setor da hospitalidade como um todo?

Acredito que, há algum tempo, as pessoas já estavam ficando, sob diversos aspectos, mais conscientes e a pandemia acelerou muito este processo.

Esta atitude, que talvez antes fosse mais concentrada nas novas gerações, agora está muito mais disseminada e a hotelaria precisará se adaptar rapidamente a esta nova realidade.

Por exemplo, os novos turistas estarão mais preocupados com saúde e bem-estar, o que inclui, consequentemente, uma maior necessidade de se sentirem seguros em relação a limpeza do local. Em resumo, estarão mais exigentes com ações para redução de desperdício e, sem dúvidas, mais observadores das ações sociais promovidas pelas empresas.


Apesar do momento crítico para o turismo como um todo, a movimentação geral está sendo de transformação, inovação e criação de novas tendências. Empresas como a Colortel e a AccorHotels, por exemplo, estão colaborando para reescrever o novo capítulo na história da hospitalidade. Acompanhe tudo isso e muito mais no Blog Hospitalidade Brasil, o blog da Equipotel.