[Expositor Equipotel] Combinação de resiliência e ação atualmente definem a Girbau

0
301

Na terceira edição do especial Expositor Equipotel, conversaremos com Edson Junior, presidente da Girbau, empresa multinacional reconhecida por revolucionar o mundo da lavanderia.

Através do produto industrial, a Girbau é capaz de atender diferentes segmentos da economia, como, por exemplo, a hotelaria, hospitais, restaurantes e muitos outros. E o time da Equipotel foi conversar com o Edson para descobrir como a empresa está atuando enquanto muitas atividades industriais que requerem os serviços de lavanderia estão em pausa. Veja o que ele nos conta:

Edson Junior, presidente da Girbau
Edson Junior, presidente da Girbau

Para começar, defina sua quarentena em apenas uma palavra:

A palavra, para mim, é resiliência.

E entendendo que agora, onde sua quarentena requer resiliência, como você acha que será o recomeço, o momento pós quarentena? E, lembre-se, também em apenas uma palavra:

Absolutamente será de muita ação.

Sabemos que algumas atividades industriais precisaram pausar ou mesmo se reinventar. Por isso, queremos saber como você está atuando ao lado dos seus clientes durante esse momento de crise?

É, principalmente, uma questão de empatia com muita troca também. Suportar e sermos suportados, cooperar e contar com a cooperação. Sobretudo, nos solidarizar e sentir a solidariedade de nossos clientes e parceiros comerciais. Afinal, estamos todos vivendo um momento inédito pelo mundo moderno. E, diante da gravidade deste momento, optamos por tentar compreender cada situação de forma particular.

Isso quer dizer, não olhar apenas para nós, da própria Girbau, e sim para a situação individual que ocorre do outro lado da linha de cada chamada telefônica que recebemos. E é dessa maneira que conseguimos ensinar e principalmente aprender, além de nos permitir enxergar o cenário real. Como resultado, essa postura e também atitude, nos fornece base necessária para as melhores tomadas de decisão.

E agora falando dos colaboradores, o que a Girbau tem feito para sua própria equipe durante a pandemia?

Talvez, seja esta uma das etapas mais interessantes, pois eu mesmo estou aplicando diretrizes provenientes de uma cultura organizacional única. O principal propósito disso é cuidar de cada um dos colaboradores da Girbau ao redor do planeta.

Aliás, podemos nos orgulhar de, até o presente momento, não haver rompido um só contrato de trabalho em nenhuma das localidades no mundo onde possuímos operações, por conta da crise sanitária. Chegaremos, sem sombra de dúvidas, ao momento da retomada fortalecidos e, sobretudo, extremamente motivados para atender a demanda que está por vir.

Agora, para finalizarmos, conta pra gente quais são os principais aprendizados que você acredita que a pandemia trouxe ao mercado de hospitalidade?

Acredito que o principal deles seja a clareza a respeito de que existem novas maneiras de receber, tratar e se despedir. Além disso, que apoiados em tecnologias pré-existentes e, principalmente, nas desenvolvidas durante e depois da pandemia, permitirão um avanço tremendo nestas práticas, desde o check-in até o check-out, por exemplo.

Temos observado, inclusive, movimentos no sentido de adoção de novas tecnologias anteriormente nem sequer discutidas, mas que agora passaram a fazer todo o sentido. Portanto, estou seguro de que os investimentos em novas tecnologias aumentarão e que novas maneiras de receber, serão uma tendência natural do setor a partir deste momento.


A atuação das empresas do setor além da Girbau

Embora o momento esteja difícil para a hospitalidade como um todo, a Equipotel está acompanhando de perto as inovações das empresas do setor. Empresas como VEGA IT e Harus, por exemplo, já compartilharam ensinamentos de como aprender com este período desafiador. Você tem acompanhado?

Continue seguindo o Blog Hospitalidade Brasil, o Blog da Equipotel, e as redes sociais do maior evento de hospitalidade da América Latina.