O turismo de luxo cresceu 4% em 2019. Cerca de 1,3 trilhão de euros em todo o mundo, segundo a Bain & Company. Historicamente este setor tem permanecido mais estável que outros se mencionarmos algumas crises, mas nem sempre isso significa que não precisa ter atenção.

De acordo com meu amplo entendimento neste segmento encantador, entendo que ele possui suas próprias nuances e estratégias que valem ser analisadas de perto. Vem comigo!

O setor de luxo no todo contempla também a indústria de viagens de alto padrão, que é uma comunidade global com sistemas de oferta e demanda conectado por todo o mundo. Esse “ecossistema” em 2019 alcançou uma receita de US$ 1,54 trilhão, com 62 milhões de empregos, e está historicamente entre as 15 principais economias do mundo. Agora, imagine se fosse um país? Este certamente seria maior que a Itália!

O turismo mundial, por sua vez, proporciona 105,90 milhões de empregos. Agora, se desconsiderarmos importantes fornecedores como os hotéis, as companhias aéreas, agências de locação de carros e demais, e focarmos apenas na cadeia produtiva que vivem em função da indústria, nota-se que o setor de Alimentos e Bebidas é um dos que mais precisarão de atenção, com 45,1 milhões de empregos ligados diretamente.

Ainda neste sentido, precisamos pensar em meios de recuperação para o setor e, para auxiliar nisso, trago fatos importantes para colaborar nessa retomada.

Dicas para a aceleração de tendências

  • COMFORT TRIPS – Este aqui é legal, e é como o movimento “Comfort Food”. Neste caso, a Comfort Trips surge por destinos conhecidos e frequentes, uma vez que comprovadamente seguros, em suma, ele arrecada maior visitação nestes locais;
  • IDENTIFICAR LACUNAS NO POSICIONAMENTO DE MARCA – Nada como trabalhar a fundo o propósito da sua marca. Concentre-se nos valores fundamentais;
  • PROPORCIONE CONFIANÇA E PERSONALIZAÇÃO – Que tal focar na retomada da malha aérea? O tiro certo aqui é apostar na atração da confiança de viagens em família ou grupos de amigos;
  • FOCAR NO VAL – Conhece o Valor Agregado do Luxo? Retomo o que mencionei acima: crie valor suficiente. Vá além do design e preços elevados;
  • ESTAR ATENTO ÀS NOVAS REGRAS – Depois de uma pandemia, detalhes mais rigorosos tanto do Estado, quanto dos hóspedes, serão novas exigências. Informe-se!;
  • DESENVOLVER LIDERANÇA RESPONSÁVEL – Seja visto como empregador local responsável. Tanto nas práticas saudáveis e cuidadosas, quanto a temas voltados ao meio ambiente.
  • INVESTIR EM WELLNESS ‘INDIVIDUALIZADO’ – É interessante pensar em um mundo ainda sem vacinas e que locais com ou sem banheira devem ser revisitados;
  • ATRAIR O NOVO ‘RESIDENTE TEMPORÁRIO’ – Pense que a partir de agora turistas focarão em viagens a lugares seguros, e possivelmente se tornarão residentes daquele destino. Os atraia;
  • SER MAIS DIGITAL – Ainda não possui Realidade Virtual ou Aumentada no seu negócio? Ou então não tem a opção de venda online? Está na hora de se mexer. Inove, pense e reflita em ideias que ninguém nunca pensou antes;
  • INFORME E PRESTE SERVIÇO – Essa é uma recomendação do Washington Olivetto, e não existe maior verdade. Não é hora de persuadir, mas de prestar serviço! Transmita leveza, bom humor e empatia em toda a comunicação.

Conclusão

Finalizo com uma frase também do Olivetto, que é sempre citada por ele ao longo dos anos: ‘Vamos levar tudo à sério, mas rir de nós mesmos’.

E recentemente ele acrescentou: ‘Assim como as pessoas preferem conviver com pessoas bem-humoradas, ao invés de pessoas mal-humoradas, os consumidores preferem comprar de empresas bem-humoradas. Bom humor passa simpatia e autoconfiança, características típicas dos grandes vencedores. Mesmo num momento dramático como o que vivemos, o humor (quando pertinente) pode ser uma poderosa arma de vendas e construção de imagem’.

Enfim, espero que possa ter ajudado com referências positivas para o setor e a sua retomada.

Continue acompanhando os canais oficiais da Equipotel para se manter informado e receber mais dicas relevantes para a hospitalidade!