Sober curious: seu próximo cliente

0
1069

O fenômeno não nasceu aqui no Brasil, em que o consumo de cerveja e destilados caiu e, grandes marcas, como Brahma e Itaipava, tem ampliado o portifólio e lançado cervejas sem álcool, com crescimento de 2% ao ano. Nos EUA, assim como em outras partes do mundo, os clientes sober curious começam a ganhar relevância.

Trata-se de um segmento de mercado que não consome bebidas alcoólicas. As razões são diversas. Há consumidores abstêmios por questões religiosas, mas são a minoria. A maior parte prefere não ingerir álcool por questão de saúde. Sentem-se mal em consumir durante o dia produtos orgânicos, com calorias contadas, para sacrificar depois o fígado, o estômago e a dieta com rodadas de chopp ou grand crus; há também aqueles que preferem largar a bebida, mas não o volante. Já que a instalação de radares e câmeras transformaram as cidades em um grande reality show.

Se antes essa parcela da população aceitava beber água, refrigerante e suco quando seus amigos tinham opções muito mais divertidas e glamurosas, agora os sober curious exigem de bares e restaurantes drinks que possam ser mais sexies e que promovam socialização.

sober curious - bebida sem álcool

Verdade seja dita, ninguém se socializa com um copo de água. Aliás, em uma roda de amigos ou em um happy hour da empresa, a imagem de um amigo com uma lata de refrigerante ou suco de laranja destoa tanto quanto show de rock indie na Praça São Pedro em Roma, durante a eleição do Papa.

Sabemos que grandes ícones da mixologia saíram dos bares dos hoteis. Do Negroni ao Blood Mary. Não é hora dos gerentes de alimentos e bebidas investirem, assim como fazem em gastronomia funcional e healthy, também em drinks não alcóolicos? Todo o modelo de hospitalidade tem se modificado dramaticamente.  Não só por conta da chegada de novos chefs e mixologistas, cheios de ideias e técnicas.  O comportamento do consumidor, depois de ter vivenciado grandes experiências no exterior, quer no Brasil serviços no mesmo patamar que Europa, EUA, Japão e Hong Kong.  

E essa é a razão, inclusive da Equipotel neste ano, maior evento de hospitalidade do Brasil e América Latina, investir em conteúdo para gestores de restaurantes, bares, spas e hospitais. Paladar não retrocede, já dizia Carlos Ferreirinha, o mais importante formador de opinião sobre o Mercado e a Gestão do Luxo e Premium da América Latina. O consumidor quer usufruir do melhor em todo momento, priorizando a saúde e seus valores. E ele recompensa quem o fizer. E olha que isso não é conversa de bar.