O que a geração Z procura ao escolher um meio de hospedagem? Nós podemos te ajudar a desvendar as novas necessidades do mercado

0
61

O mercado já sabe que as novas gerações procuram meios de hospedagem que reúnam um bom ambiente com experiências diferenciadas. Mas, como atender essas novas demandas?

Nascidos entre 1995 e 2010, esses nativos digitais da Geração Z tornaram-se uma influência importante em pessoas de todas as idades e rendas, de acordo com um relatório da McKinsey, empresa líder mundial no mercado de consultoria empresarial. Em particular, estão mudando a maneira de consumir e se relacionar com marcas. Isto tem consequências importantes para a hospitalidade, tornando essencial tomar conhecimento do que a Geração Z quer de um hotel em sua experiência e garantir que isso seja fornecido.

Enquanto a maioria dessa geração ainda tem menos de 20 anos, esse demográfico já compõe uma percentagem alta mundo afora e contribui em milhares de dólares para a economia. Mesmo que muitos nem possam fazer uma reserva de hotel, o relatório “Geração Z 2025: A última geração” mostra que 65% dos pais consideram a opinião de seus adolescentes quando compram férias em família. O que essa opinião inclui é o seguinte:

Tecnologia, tecnologia e mais tecnologia

Tecnologia inovadora é uma obrigação para qualquer marca com o objetivo de servir a Geração Z no futuro. O que muitos não apreciam plenamente, no entanto, é o grau em que este grupo está continuamente ligado. Já não é suficiente ter internet gratuita em suas propriedades. As ofertas agora precisam se estender para wifi poderoso e disponível para vários dispositivos, streaming de vídeo sem travamentos e funcionalidades da web que se integrem a sistemas de hotéis, como check-in móvel e acesso a quartos, pagamento de contas e até mesmo recursos de ordenação.

Integração de mídias sociais

Com a Geração Z sempre on-line e completamente confortável com as mídias sociais, é vital que as marcas de hotéis tenham presenças fortes e ativas nas redes, às quais os hóspedes podem se conectar a qualquer momento. Isso significa perfis atualizados, lançamentos freqüentes, comunicação interativa em vários canais e uma sólida estratégia de marketing social. A pesquisa mostra que este grupo normalmente registra até 10h por dia de tempo de tela, com muitos especialistas argumentando que não é um vício, mas uma extensão de si mesmos.

Uma experiência comunitária

Os dias do “eu quero estar sozinho” vão-se de longe, e a Geração Z está visivelmente focada no alinhamento com uma cultura comunitária. Ela valoriza experiências sobre possessões materiais, e a capacidade de conhecer e conviver com os outros é uma parte importante da viagem. Hotéis que oferecem assentos comunais, hubs sociais, restaurantes e áreas comuns para os hóspedes que desejam interagir com os outros entregam a atmosfera que eles estão procurando.

Refeições empreendedoras

As atividades relacionadas a alimentação são uma grande parte da experiência da Geração Z, com a mídia conduzindo as expectativas de uma maneira grande. Um estudo de 2018 feito pela Y-Pulse, chamado “Compreendendo hoje os formadores de opinião de amanhã”,  mostrou que 56% dos entrevistados assistem programas gastronômicos e vídeos de comida no Facebook e Instagram. Como resultado, enquanto a Geração Z ainda quer experimentar os aspectos divertidos do menu infantil, prefere escolher a sua própria comida do menu adulto. Eles querem alimentos compartilháveis com apresentação fotográfica, feitos de ingredientes baseados em plantas, de origem ética e localmente disponíveis.

Valor do dinheiro

A Geração Z está profundamente consciente da insegurança econômica, tendo crescido em parte, durante grandes recessões. Isso os torna responsáveis sobre os gastos e determinados a obter valor para o dinheiro, enquanto não esquecem o básico. Sua jovialidade e saúde relativamente boa permitem-lhes aproveitar os custos mais baixos para uma acomodação alternativa com menos ênfase no luxo e conforto, um fator que contribuiu significativamente para a ascensão de serviços como a Airbnb e aplicações de partilha de viagem como Uber. Um estudo recente da UNiDAYS e Ad Age encontrou “genzers” que realmente preferem ficar em hotéis do que reservar Airbnbs. Uma tendência inversa que é uma boa notícia para as cadeias hoteleiras em todo o mundo.

Um olhar local

Com seu foco em experiências ao invés de posses, eles querem incursões locais autênticas em vez de visitas guiadas tradicionais. É importante que as marcas ofereçam oportunidades para os hóspedes desfrutem de comida e entretenimento locais como parte de uma imersão cultural na comunidade.

Oportunidades de engajamento

A ascensão do conteúdo gerado pelo usuário na última década tornou a Geração Z muito confortável e com informações de crowdsourcing sobre compras futuras. Eles baseiam suas decisões em comentários, amigos, influenciadores e acreditam que eles têm o dever de contribuir para a decisão. O engajamento é o nome do jogo e os “genzers” não têm medo de se envolver – contanto que seja sem problemas, livre de erros e valha a pena.

Tudo isso torna incrivelmente claro que a Geração Z já está impactando a indústria da hospitalidade e continuará a fazê-lo pelo menos na próxima década. As marcas devem começar a implementar medidas neste momento se quiserem estar à frente da concorrência.

Acabamos de encerrar a 57ª edição da Equipotel com muitos negócios realizados e conhecimentos compartilhados, mostrando como a semana da hospitalidade é importante para o mercado! O próximo evento acontece ano que vem, mas continue nos acompanhando para conferir as novidades do setor que podem te ajudar a renovar seus negócios, se atualizar e conhecer as principais tendências.

Assine a newsletter da Equipotel!