RevPAR X GOPPAR e por que precisamos de uma nova métrica nos negócios

0
125

Estão surgindo novas métricas para medir a rentabilidade econômica dos meios de hospedagem

Mesmo lentamente, mudanças vem acontecendo no olhar da indústria para os números e em quais se concentrar. Neste cenário, durante muito tempo a RevPAR tem reinado. No entanto, nem sempre foi assim e muitos acham que é hora do rei seguir em frente.

Enquanto a RevPAR mede a receita por quarto disponível, o mesmo que o total da receita do quarto e o total de quartos disponíveis, a GOPPAR mede o resultado operacional bruto por quarto disponível, ou seja, o resultado operacional bruto e número de quartos disponíveis. Um aspecto interessante a se discutir é: porque uma métrica é superior a outra para medir a rentabilidade econômica dos hotéis?

Uma diferença entre os dois é que com a RevPAR só tomamos uma porção da receita, enquanto com a GOPPAR toda a receita gerada no estabelecimento é levada em conta, de modo que a comparabilidade entre os hotéis é pior com o primeiro indicador, prejudicando hotéis maiores que fornecem uma infinidade de serviços.

Outra diferença é que com a GoPPAR temos um indicador mais útil para analisar a capitalização por renda e, portanto, para avaliar o hotel. Neste caso, temos os fluxos de caixa gerados em um período com toda a estrutura produtiva da unidade de negócios e não apenas um departamental.

Uma terceira vantagem da GoPPAR sobre a RevPAR é que com o primeiro todas as despesas são levadas em conta, tanto fixo e variável, muito semelhante ao EBITDA, hoje melhor indicador de rentabilidade financeira.

Portanto, embora ambos os indicadores se complementem e devam ser tomados como medidores de rentabilidade, as conclusões em avaliações de empresas hoteleiras devem ser questionadas quando apenas a RevPAR é tomada da perspectiva da receita por quarto disponível. As avaliações feitas somente com este indicador podem resultar em erros significativos na análise.

Vale pontuar que tradicionalmente na indústria hoteleira um indicador econômico muito usado é o GOP, lucro operacional bruto, que é subtraído da receita total do hotel, custos e despesas operacionais. Este indicador é quase idêntico ao EBITDA, citado acima, que mede a rentabilidade antes dos impostos e sem levar em conta as despesas que não são pagas, tais como amortização, depreciação e provisões.

Mas definitivamente hoje é a GOPPAR que dá maior insight no desempenho real de um hotel, pois não só considera receitas geradas, mas também fatores em custos operacionais relacionados com tais receitas.

Equipotel 2019 é palco para as principais discussões do mercado e das tendências para os próximos anos. Assine nossa newsletter para se manter atualizado e faça agora seu credenciamento – que é gratuito para todos os profissionais do setor – para fazer parte desse ponto de encontro exclusivo.

Credencie-se agora!