Por que a hospitalidade japonesa é diferente: os segredos de Omotenashi

Em 2020 o Japão vai sediar os Jogos Olímpicos e os Jogos Paralímpicos. As preparações estão em pleno andamento para certificar-se de que o país está pronto para receber hóspedes de todo o mundo. Christel Takigawa, embaixador de licitação da Tóquio 2020, apresentou um discurso inspirador para o Comitê Olímpico Internacional enfatizando a importância da Omotenashi – a maneira japonesa de receber convidados.

O que é Omotenashi?

Muita gente provavelmente já ouviu sobre o atendimento no Japão, mesmo quem ainda não visitou o país. Não importa onde se viaja dentro do território japonês, as pessoas são educadas, o entorno limpo e a maioria das vezes eles fazem de tudo para que todos se sintam a pessoa mais importante do hotel.

Omotenashi é a hospitalidade japonesa no seu melhor, onde “omote” significa rosto público – a imagem que você deseja apresentar aos estrangeiros – e “nashi” não significa nada. Juntos, formam a combinação de um serviço que vem do fundo do coração: honesto, empático, despretensioso. A origem deste espírito encontra-se na cerimônia do chá japonesa, onde o mestre prepara a bebida virado para o público, abrindo e limpando os utensílios.

Porém, o verdadeiro significado do Omotenashi vai muito além do que apenas comprovar a excelência em hospitalidade. Em vez disso, é inteiramente sobre entreter os convidados. Pode ser difícil de descrever em português, porque é algo que tem que se experimentar no Japão pessoalmente. O conceito ultrapassa “o cliente tem sempre razão”, em vez disso, é mais um entendimento de que não há nenhuma tarefa servil se o resultado garante uma grande experiência para o hóspede.

A evolução do Omotenashi

Enquanto na teoria o Omotenashi parece a maneira perfeita para tratar os hóspedes e visitantes, ao longo dos anos as atitudes e a demografia de clientes no Japão mudaram. As pessoas tornaram-se mais intimistas, querem seu espaço pessoal e muitas vezes preferem ser deixadas sozinhas e imperturbáveis. Alguns ryokan (inns japoneses tradicionais) pararam com as filas de boas-vindas na entrada, onde cumprimentavam os convidados, porque descobriram que isso os fazia se sentirem desconfortáveis. Eles também pararam de ir para os restaurantes tão frequentemente como costumavam fazer quando os hóspedes estão almoçando ou jantando para lhes dar mais privacidade. Mas mesmo com algumas mudanças, a hospitalidade japonesa é ainda uma das mais reconfortantes que existe mundo afora. Não é preciso preocupar-se com demora em atendimento, em chamar garçons, em pedir a conta e mesmo assim com grande agilidade e assertividade recebê-la ao final de sua experiência, podendo ainda sempre contar com alguma valiosa dica, mesmo que não estivesse esperando.

Experiência imersivas pelo Japão

Estando no Japão, qualquer viajante irá notar elementos de Omotenashi em todos os lugares, seja entrando em lojas, pedindo direções aos funcionários dos trens, motoristas de taxi, entre outros. Se está procurando por experiências únicas com o sabor da cultura Omotenashi, fique de olho nas seguintes atividades:

– vá a uma cerimônia de chá;
– participe de uma aula de culinária;
– vista-se com um yukata (quimono de verão) ou como uma maiko (aprendiz de Geisha);
– faça um tour samurai ou ninja;
– experimente a meditação zen budista num templo ou faça uma peregrinação;
– tenha aulas de ikebana e descubra a arte do arranjo de flores.

Em um mundo onde a qualidade do serviço ao cliente é muitas vezes difícil de se encontrar, adicionar um pouco de Omotenashi parece ser uma boa maneira de restaurar o equilíbrio!

 

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: A4&Holofote Comunicação