Tecnologia na indústria da hospitalidade

A tecnologia está avançando em um ritmo mais rápido que nunca e isso está mudando tanto as expectativas de administradores, bem como a maneira em que a indústria da hospitalidade conduz seus negócios. Alguns desses caminhos estão conduzindo a grandes melhorias e economia para o setor, enquanto alguns estão mudando como a cara dos hotéis em infraestrutura, gestão e pessoal.

Hoje em dia, os hóspedes que viajam com dispositivos como telefones, tablets e computadores já que enxergam o Wi-Fi como um item básico para quando fazem check-in. Eles querem ser capazes de se conectar à internet sem problemas e interrupções, o que tem levando os hotéis a investir em um serviço de acesso sem fio mais rápido e melhor, para que as pessoas possam fazer negócios, se divertir e usar seus dispositivos com facilidade.

Outra característica que está sendo deixada no passado é a de cobrar tarifas para o visitante manter-se on-line. Mesmo que não seja viável abandonar de vez a cobrança por esse tipo de serviço, é preciso repensar valores e modelos a serem seguidos.

Além de ser capaz de oferecer acesso Wi-Fi de alta densidade, os hotéis que recebem viajantes a trabalho precisam disponibilizar facilidades audiovisuais para reuniões, apresentações e conferências. Um componente-chave na concepção dessas instalações é como facilitar a conectividade de dados, sendo necessário um projeto de rede que garanta cobertura de sinal interno para celular, serviços de localização em tempo real, VoIP, RTLS e IPTV.

E o que falar da automação? Foi-se o tempo em que era necessário entrar em filas para um simples check-in ou um apressado check-out. Os hóspedes querem ter a opção de fazer tudo on-line, desde sua declaração de entrada via app ou em totens instalados no lobby até pedir serviço de quarto com um dispositivo digital em vez de aguardar ao telefone para precisar pedir uma comida. Eles querem também interações digitais com o hotel, personalização de sua experiência e que saibam os seus gostos.

Aposte na tecnologia NFC para proporcionar tudo isso. Dos pagamentos móveis (tocando o telefone inteligente em um cartão de crédito) até as chaves do quarto, pode-se ter publicidade orientada com base no sexo e idade, sendo possível até mesmo o rastreamento das áreas do hotel preferidas de cada usuário.

Na vanguarda, alguns hotéis já estão oferecendo experiências mais futuristas, como robôs entregando pedidos solicitados ao serviço de quarto. O Aloft Cupertino, por exemplo, tem um mordomo robô chamado Botlr, capaz de visitar vários andares levando itens como escovas de dentes, carregadores celulares e quitutes aos hóspedes. Esse tipo de sistema digital não apenas tornar mais fácil a vida dos funcionários, mas também oferece uma experiência digital que impressiona. E até o “não perturbe” usual mudou sua maneira de ser.

Para minimizar os problemas com o serviço de limpeza, sensores infravermelhos nas portas detectarão o calor corporal dentro de um quarto e dirão as camareiras que devem voltar mais tarde, indicando que o local está ocupado. Isso com certeza deixará para trás o incomodo das já conhecidas batidinhas na porta.

Toda essa inovação está ou em breve estará disponível. O mercado conta ainda com as smartkeys, entretenimento inteligente e personalizável, serviços na nuvem durante a hospedagem, sistema de feedback em mídias sociais e integração, afinal, o avanço da tecnologia não significa que a experiência do cliente só pode acontecer on-line. Elas precisam ser parte de um sistema integrado e dinâmico para que possam levar a mudanças positivas e crescimento na indústria de hotelaria.

 

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: A4&Holofote Comunicação